“Bem Vindo”, Philippe Lioret, 2009

bemvindo_

Bem Vindo

Em um primeiro momento, podemos perceber “Bem Vindo”, do cineasta francês Philippe Lioret, como um filme crítico, ácido e frio como o clima de Calais.

Bilal é um imigrante iraquiano, que chega a frança para atravessar o Canal da Mancha e ir em busca de sua namorada que mora na Inglaterra. Na França de Sarkozy, encontra um país áspero com quem vem de fora, pelo menos os que vêm de países pobres, uma França com uma política que proíbe inclusive o próprio francês a ser solidário com o imigrantes.

Em meio a dificuldades para ser aceito, proibido inclusive de comprar alimentos para comer, sem ter onde dormir e mesmo onde tomar banho, Bilal não desiste de sua busca, que pode parecer inverossímil se não lembrarmos que Bilal é um jovem de 17 anos, movido pela paixão e o amor por sua amada.

E é justamente essa paixão, que Simon (Vincent Lindon) enxerga em Bilal e o faz repensar sobre seu mundo e sobre sua vida.

No inicio,  Bilal procura aulas de natação com Simon, professor  em uma escola de natação próximo ao porto, para tentar atravessar o Canal da Mancha a nado para encontrar a amada. Em um determinado momento, Simon, por culpa, oferece ajuda ao garoto e um amigo.

Até então, Simon era o retrato do francês comum, apático aos problemas sociais que não lhes atinge oficialmente, uma classe média comum sem muitos anseios e questionamentos. Como a maioria da classe média mundial.

A partir daí, os dois mundos passam a se conhecer, se entender e apresentarem um para o outro uma outra perspectiva de vida.

E aí então que podemos ver o filme com outro olhar. Não mais somente o olhar crítico e frio que Bilal leva naquele lugar, mas um olhar de transformação, um olhar apaixonado. Simon começa a admirar e a se questionar ao ver a força daquele garoto por aquele amor.

Essa admiração aumenta, e nasce ali um amor paternal. Simon confronta todos em função disso. É comovente em determinado momento, onde um vizinho incomodado com a presença de imigrantes em casa confronta Simon, que ao entrar em casa olha para a porta de seu visinho e observa o tapete com  a palavra “Wellcome” (Bem Vindo).

Mas vemos, apesar de todos essas dificuldades da relação de Bilal e Simon, um outro ponto. As transformações, a esperança, então a partir de um discurso político, têm uma mensagem pessoal.  Não deixar as coisas acontecerem simplesmente. Lutarmos pelo que devemos lutar.

O filme é um retrato da França de hoje, dando s costas a imigração e os franceses fingindo que nada está acontecendo, por mais que seus vizinhos, professores, e principais jogadores de futebol sejam imigrantes ou filhos de imigrantes.

“Bem Vindo” teve tanto impacto no cinema Francês, que por causa da repercução do filme, foi ao senado um projeto de Lei de Acolhimento a Imigrantes.

Jair Santana

Anúncios

Uma resposta

  1. muito bom o filme !!! recomendo !!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: