“O Curioso Caso de Benjamin Button”, David Fincher, 2008

curioso-caso-de-benjamin-button-poster04

O Curioso Caso de Benjamin Button

O Curioso Caso de Benjamin Button” é acima de tudo, uma linda historia de amor, de perdas e de relações humanas. O personagem Benjamim é a síntese, dos problemas e das oportunidades da individualidade de cada, e o que ela pode oferecer, entre perdas e ganhos à cada indivíduo.

Baseado em um conto de F. Scott Fitzgerald, escritor americano de clássicos comoO Grande Gatsby”, o mesmo teve como premissa inspiradora ao seu conto a famosa frase de Mark Twain: “A vida seria infinitamente mais feliz se pudéssemos nascer aos 80 anos e gradualmente chegar aos 18”.

Apesar de já conceituado depois de “O Grande Gatsby”, a vida de Fitzgerald era estravagante, rodeado de luxo, vivia entre os EUA e os grandes hotéis da moda na Europa. Foram os contos, e entre ele “Benjamim Button”, que Fitzgerald vendia jornais, que o ajudou a bancar a vida extravagante que levava.

Apaixonado por jazz e pela vida, uma vez falou sobre ele e sua esposa Zelda, sobre seus estilos de vida “às vezes eu não sei se Zelda e eu somos reais ou se somos personagens de uma das minhas novelas.”

No conto de Benjamin Button, ele traz prova, que não é tão melhor assim, se o ciclo de vida fosse invertido. Benjamim, quando criança, ficou impossibilitado de brincar com outras crianças, quando pré-adolescente ficou impossibilitado de realização do seu primeiro amor, e assim foi continuamente a historia de sua vida.

Carregava o fardo de estar parentemente maduro no inicio da vida. Porém ingênuo, sonhador, como qualquer jovem de 15, 20, 25 anos.

Mas o personagem assume sua diferença, graças a sua mãe adotiva Queenie, interpretada linda e levemente pela atriz Taraji P. Henson, não como um problema, mas acima de tudo como uma diferença. E isso o faz crescer seguro de sua individualidade.

Queenie trabalha em um asilo, e Button desde cedo começa a lidar com perdas. Em dado momento conhece a jovem Dayse e logo de apaixona. Porém, mais que isso, ela passa a ser o único amor de sua vida. Romântico e até meio clichê, mas funcional.

Claro, que naquele momento era um amor impossível, Dayse com doze anos, era uma linda criança, Benjamim, com doze anos, parecia um velho de oitenta. Mas entre eles cresceu uma bela amizade.

No percurso de sua vida, Benjamin conheceu outras mulheres, chegou a se apaixonar, mas como dizem os poetas e os clichês, um grande amor, ele teve somente um.

 

 

Técnicamente falando, a maquiagem é realmente perfeita. Não apenas quando apresentando Brad Pitt e Cate Blanchett envelhecidos demais, mas também, os dois rejuvencidos, com seus rostos como quem tem 17, 20 anos.

A trilha sonora de Alexandre Desplat compositor de trilhas como de “A Moça do Brinco de Pérolas” e “Syriana”, é tocante, emocionante ao mesmo tempo que ora apoteótica ora melancólica.

A fotografia é outro detalhe maravilhoso no filme. É apenas o segundo longa metragem do diretor de fotografai chileno Claudio Miranda. A textura de época, o tom dourado do passado, e azulado do presente, fazem nos remeter a “um passado dourado” como se costuma falar ao lembrar de décadas passadas.

Temos ainda o presente da bela Julia Ormond como Caroline, a ilha de Dayse, lendo o diário de Benjamin, e aguardando o furacão ao lado da mãe. Furacão esse que levara consigo historias, da cidade e de pessoas, lavará a cidade de parte de seu passado, mas também trará o ressurgimento de novas historias de perdas mas também conquistas.

Com o filme, David Fincher recebe sua primeira indicação ao Globo de Ouro e ao Oscar. Fincher é diretor do frustrante “Alien 3”, do surpreendete “Clube da Luta” e do claustrofóbico “Quarto do Pânico”.

” O Curioso Caso de Benjamin Button” é um ode ao amor, a aceitação de si mesmo, a aceitação do outro, e acima de tudo, um ode a vida.

Roteiro sensível da dupla Eric Roth (seu primeiro roteiro) e Robin Swicord (roteirista de “Memórias de Uma Gueixa” e “Adoráveis Mulheres”), os atores em excelentes performances e direção segura. A produção é de um valor exagerado, com um orçamento de 150 milhões de doláres. Para tudo ficar perfeito.

Tinha tudo pra ser o grande vencedor do Oscar 2009, principalmente por seu formato “certinho”. Mesmo que não seja o melhor entre os concorrentes

Jair Santana

Anúncios

2 Respostas

  1. Eu achei mais impressionante o rejuvenescimento do Brad Pitt, apesar de que o rosto dele parecia ter passado pelo Photoshop 😀 .

  2. […] Um historia de amor, alais, amor é o tema principal de pelo menos três filmes que concorrem ao Oscar esse ano, o tema está em “Quem quer ser um Milionário”, “O Leitor”  e  “O Curioso Caso de Benjamin Button”. […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: