“Noel – O Poeta da Vila” – Ricardo Van Steen, 2006

Noel - O Poeta da Vila

Noel - O Poeta da Vila

O filme “Noel – O Poeta da Vila”, é o primeiro longa de Ricardo van Steen. É mais um desses projetos, assim como “Cinema, Aspirinas e Urubús” de quase 10 anos de luta para sua realização.

Ricardo van Steen, é paulista,  conhecido diretor de publicidade em São Paulo, e também um apaixonado pela obra de Noel Rosa.

Curioso esse filme, é não ter sido iniciativa de um carioca, cidade natal de Noel, cidade que se orgulha tanto do samba e de seus compositores. Mas é também uma cidade, que não resgata esses valores, e aí, sobrou pra um paulista.

O filme tem um peso muito grande. Retratar a vida, curta porém hiper produtiva, de um dos maiores compositores de toda historia musical brasileira. Noel morreu com apenas 26 anos, e apesar da pouca idade, nos deixou mais de 200 composições.

Baseado na biografia de João Máximo, infelizmente, “Noel- O Poeta da Vila” não arrastou multidões ao cinema como aconteceu com os dfilmes “Cazuza” e “Dois Filhos de Francisco”, filmes também biográfico, de compositores brasileiros. Apesar de se fazer presente sim, em várias regravações, o brasileiro é um povo que não tem apego histórico cultural, e Noel Rosa não é contemporâneo dessa geração.

“Noel” é um filme leve, gostoso, reune comédia, romance, drama, reune tudo isso, assim como a vida do compositor. As vezes formal, as vezes explicativo demais, mas acima de tudo, um belo filme.

Porém essas explicações talvez viessem melhor colocadas de maneira cinematográfica, ou seja, deixar o filme se explicar, falar através das imagens e dos acontecimentos, e não verbalizar simplesmente.

A fotografia de Paulo Vainer é um show a parte. Um textura de fotografia de época, cores lavadas, deixam a fotografia sofisticada que impressiona pela beleza e técnica. A maquiagem e o figurino impecáveis. A direção de arte de uma maneira geral está afinadissíma.

O filme conta ainda com interpretações memóraveis principalmente de Rafael Raposo que interpreta o Noel. Rafael torna-se então nossa maior referência visual de Noel Rosa, já que não existem muitas, e a criação do personagem é muito bem realizada. 

Temos ainda Carol Bezerra como Aracy de Almeida, apesar da participação restrita de Carol Bezerra, sua participação realmente foi ótima. Fiquei realmente impressionado com esses dois. Mas não se pode deixar de citar outras ótimas participações como Flávio Bauraqui, Supla. Paulo Cesar Pereio e  Camilia Pitanga, que fez uma “Ceci” inesquecivel. Ceci, foi o grande amor da vida de Noel.

“Noel – O Poeta da Vila” é um filme historicamente e culturalmente importante. Diria até mais que isso, é importante para nova geração, que precisa conhecer não somente historia de Noel Rosa, mas da música brasileira

O filme merecidamente Ganhou os prêmios de Melhor Direção de Arte, Melhor Edição de Som e o Prêmio Especial “Orgulho de Ser Brasileiro”, no Festival de Cinema Brasileiro de Miami. Também ganhou o prêmio de Melhor Filme – Júri Popular, na Mostra de Tiradentes.

Jair Santana

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: