“Do Outro Lado”, Fatih Akin – 2007

Do Outro Lado

Neste seu segundo filme,  Fatih Akin , diretor de “Contra Parede”“Soul Kitchen”,  retrata o comportamento da “nova” comunidade europeia e também, de um modo geral, do mundo globalizado. Um mundo onde se perdeu a identidade nacionalista, e continua-se buscando e falsamente se lutando por ela.

“Do outro lado” conta com bom roteiro, apesar de as vezes tornar-se um pouco confuso, do também diretor Fatih Akin. Vencedor do prêmio de melhor roteiro no Festival de Cannes e também do European Film Awards, além de indicações de melhor filme e direção. Foi representante da Alemanha no Oscar de melhor filme estrangeiro.

O filme conta com ótimas interpretações. Principalmente dos coadjuvantes, como a mãe alemã, interpretada pela ótima atriz alemã Hanna Schygulla e o pai turco. Em especial a cena de Susane, a mãe, no quarto do hotel na Turquia ao ir buscar a filha, é antológica.

A fotografia de Rainer Klausmann é um tanto simplória e pouco trabalhada, mas ainda assim não chega a comprometer. Rainer Klausmann é em sua maioria fotografo de TV. Ta aí a explicação.

Os personagens sofrem de um falta de identidade e objetivos por conta do caótico mundo moderno em que vivem, ou seria melhor dizer, em que vivemos. Não se enxergam uns aos outros, procuram algo que não sabem ao certo o que é, e morrem de medo de a nova geração cairem em seus memos erros.

Pode-se dizer que o filme tem um “q” de auto-biografia. Fatih Akin, que é alemão de descendência turca. Seu personagem principal, Ayten ( Nurgül Yesilçay) é turco, professor em uma Universidade na Alemanha. Volta para Turquia, para ser dono de uma livraria alemã na Turquia. E são esses entrelaces que centralizam o roteiro.

Outro acerto que merece destaque no filme é a belíssima trilha sonora. O responsável por ela, é o compositor Shante, em sua primeira composição para o cinema.

“Do Outro Lado” é um filme de relaçoes humanas, crítico e acima de tudo atual. Perde um pouco pelo tempo do filme, que talvez pudesse ser um pouco menor. É um filme de que esta perdido no mundo, sem nacionalidade, pois pertencer ao mundo hoje é mais complicado do que se pode imaginar.

Jair Santana

Anúncios

3 Respostas

  1. Vi hoje o filme e adorei! É um dos melhores filmes que vi este ano. Lembrou-me muito os filmes do Alejandro González Iñárritu. A meu ver mereceu o prémio em Cannes.

  2. […] Europa de hoje, com forte problema de identidade, já retratado em vários filmes recentes, como em “Do Outro Lado” de Fatih Akin. A não aceitação de novas culturas, o conflito do velho com o novo, tudo isso, é […]

  3. […] filme de Fatih Akin, alemão de decendência turca, diretor dos filmes “Contra Parede” e “”Do Outro Lado”, passa pela maioria das pessoas, em geral o espectador comum, apenas como uma gostosa comédia […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: