Jonh Williams, EUA, 1932 –

Jonh Willliams

A historia do cinema e mesmo da televisão confunde-se com a historia musical de John Williams. Desde seriados como “Perdidos no Espaço”, “Túnel do Tempo” ou “Terra de Gigantes“, a inesquecivel e meaçadora trilha de “Tubarão”, as notas de “Contatos Imediatos do Terceiro Grau“, as trilhas épicas de “Guerra nas Estrelas” e a trilogia de “Indiana Jones”, dentre os mais de 80 filmes e programas de TV para os quais John Williams compôs.

Johnny Towner Williams, ou somente John Williams como viria a ser conhecido, nasceu em Long Island, cidade de Nova York, em 8 de fevereiro de 1932, filho de um músico da orquestra da CBS. Mudou-se em 1955 para Califórnia, onde posteriormente e evidentemente, com a proximidade que a Califórina oferece ao Estúdiso, começou sua carreira no cinema.

Logo logo, suas composições chegaram a filmes como os clássicos da catástrofe “O Destino do Poseidon” (1972) de Ronald Neame, “Terremoto” de Mark Robson, e “Inferno na Torre” ambos em (1974) com direção dupla de John Guillemin e Irwin Allen, e os primeiros filmes de Steven Spielberg “Louca Escapada” (1974) e “Tubarão” (1975).

John Williams é sem dúvida o mais pop de todos os compositores pra cinema. O preferido de 9 entre 10 cinéfilos. A filmografia de Williams é extensa, tendo ganho inúmeros Emmys, Grammys e Indicado nada menos que 45 vezes ao Oscar, conquistando o prêmio maior da Academia de Melhor Trilha Sonora com “Um Violinista no Telhado” (1971) de Norman Jewison, e ainda “Tubarão”(1975), “Guerra nas Estrelas”(1977), “ET – O Extraterrestre” (1982) e “A Lista de Schindler”(1993). Todos esse de Steven Spielberg.

Steven Spielberg por sinal é um dos maiores parceiros de John Willians, desde de 1974, a maioria, se não todos seus filmes, a trilha é assinada por ele. No final dos anos 70 destacam-se ainda as trilhas de Williams para “A Fúria”, de Brian De Palma, a inesquecível trilha de “Superman – O Filme” de Richard Donner em 1978 e “Drácula” em 1979, de John Badham.

A trilha de “Tubarão” por exemplo, é tão forte, para o próprio filme, que sua presença se torna objeto diegético. Na seqüência da praia lotada de turistas, no feriado, todos os truques que Spielberg utiliza para anunciar o tubarão (movimentos de câmera, etc.) estão presentes, menos a música. Realmente a cena termina em um alarme falso, com duas crianças brincando com uma barbatana falsa. Mas algum tempo depois ouvimos o tema assustador, e agora sabemos que a ameaça é real graças ao reaparecimento da música.

Em “Contatos Imediatos de Terceiro Grau” (1977), as primeiras idéias sobre a música haviam sido discutidas por Williams e Spielberg ainda durante a produção de “Tubarão”. Sua base seria a canção de “Pinóquio, “When You Wish Upon a Star”, de modo a exprimir a fantasia e o encantamento infantis que a maior parte dos adultos abandona com o passar dos anos. Contatos teve grande parte da música composta antes mesmo de se realizarem as filmagens, com base apenas no roteiro e nos storyboards desenhados por Spielberg. O resultado, como todos sabem, foi uma obra-prima, que só não recebeu o Oscar daquele ano porque John Williams foi derrotado por um concorrente mais que imbatível: ele mesmo, com “Guerra nas Estrelas”.

Nos anos 80, Williams continuou a compor trilhas inesquecíveis, como “O Império do Sol” (1987), de Spielberg, na minha opinião um das melhores dele e do cinema. É sensível e épica ao mesmo tempo, é grandiosa e suave, é acima de tudo inesquecível. Sou apaixonado por esse filme e essa trilha. Ainda com Spielberg veio ainda a trilogia “Indiana Jones” e posteriormente “Nascido a 4 de Julho” (1989) de Oliver Stone.

Na década de 90, o compositor estava mais requisitado que nunca, limitando-se a filmes de Spielberg na ótima trilha de “Jurassic Park” (1993), na lindíssima trilha de “A Lista de Schindler” (1993), ainda “Amistad” (1997), e a poucos projetos de diretores renomados, como “JFK” (1991), “Nixon” (1995), ambos de Oliver Stone, e “Sabrina” (1995), de Sidney Pollack e a inesquecivel trilha da comédia “Esqueceram de Mim” (1990) de Chris Columbus, cujo a música acabou se confundindo com músicas natalinas.

Tema de “A Lista de Shindler”:

A partir de 1999 o compositor parece ter ingressado em um novo ciclo de sua carreira, que teve início com o retorno ao universo de “Guerra nas Estrelas” em “Star Wars – Episódio I: A Ameaça Fantasma” (1999), com a volta direção de George Lucas, seguindo com “As Cinzas de Ângela” (1999) com a direção de Alan Parker e Emily Watson em “O Patriota”(2000) de Roland Emmerich, ambos indicados para o Oscar por trilha sonora.

Williams continua a nos fascinar com trabalhos como “A. I. – Inteligência Artificial” (2001), e “Harry Potter e a Pedra Filosofal”(2001), ele volta a trabalhar com Chris Columbus , depois ainda vieram, “Memorias De Uma Gueixa” de Rob Marshall e em “Munique”, novamente, Steven Spielberg.

Seus álbuns atingiram os primeiros lugares nas paradas, ficando lado a lado com as estrelas pop do momento como Madonna. Um exemplo é o álbum com a música de “Guerra nas Estrelas”, em apenas seis meses, vendeu dois milhões de cópias, a sua primeira gravação com a Boston Pops Orchestra, chegou ao 20º lugar na tabela de vendas do Natal de 1980. Sendo até hoje, um dos únicos discos orquestrados da historia da música a chegar em tal posição.

Jair Santana

Uma resposta

  1. […] Diretor: Steven Spielberg Ano: 1993 Música: The Schindler’s List Theme Composição: Jonh Willians Trilha Sonora do Filme: Jonh […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: