“SHITAKE É SHITAKE E PRONTO!”, de Marcello Gabbay e Michele Campos

Rio de Janeiro, terra de gente chique, granfina, não é pra qualquer mané. Num final de tarde típico de julho, carioca gosta de tirar do armário aquela jaqueta jeans, bota três camisas e faz o maior drama por causa de 19 graus Celsius. Imagina então paraense no inverninho do Rio, o drama é triplicado, o caboclo veste quaro camisas, duas cuecas, meião grosso e ainda põe um gorrinho “Hang loose”. Ridículo!!!

Foi neste contexto que três paraenses e um carioca, loucos pelo friozinho foram atrás de um happy hour tipicamente fluminense. Caminhando pela Lagoa – que luxo! – a procura de um drink, uma musiquinha ambiente, quem sabe um Coltrane, um Miles Davis, ou simplesmente Jobim. Estávamos eu, minha senhoura Michele, e nossos queridos correligionários Jair Santana e Ricardo de Amaral Pereira Góes, duas expoentes figuras da sociedade carioca, artistas de vanguarda. Caminhávamos pela calçada gélida quando de repente. Voalá!!! Um lugar agradável, arejado, de muito bom gosto. Um barzinho ma beira da Lagoa, cardápio seleto, coisa para poucos.
Acomodados numa mesa privilegiada, inicio de uma noite estava perfeita, momento ideal para o tão desejado drink.

– Garçom! Por favor!
– Pois não?

Pedimos umas bebidas quentes para espantar o friozinho. Depois de uns vinte minutos, deu-nos aquela vontade de beliscar uns canapés, talvez escargot, alguma coisinha leve, menos fondue porque duas noites antes havíamos tido experiências desagradáveis com queijo, carne e cebola, muita cebola. Olhando no cardápio, Michele despertou um estranho desejo por chitake, sim shitake, bonito nome, meio oriental, talvez uma espécie de chiclete japonês, sei lá. Esse era o problema, ninguém sabia o que diabos era shitake!!

– Garçom! Por favor! Você poderia nos explicar como é este prato. Shitake?
– Shitake? Ããã… É Shitake com queijo, torradas, molho…
– Sim, mas o que é shitake?
– Shitake? Ããã… É Chitake com queijo, torradas, molho…
– Moço, eu já entendi. Eu só queria saber o que é o shitake! – Michele já perdia a paciência.
– Bem, Ããã… É Shitake com queijo, torradas, molho…

Todos começaram a se aborrecer, mas temos que compreender a posição do garçom, que se perguntava, que cavalheiros são esses que não conhecem chitake? Que estirpe é esta?!

– Moço, vou perguntar mais uma vez. Eu sei que vem chitake , queijo, molho, mas eu quero saber o que é o chitake é uma carne, um tipo de legume, o que? Neste momento o garçom abriu um sorriso aliviado e exclamou:
– Aaaaah! Entendi!!! A senhora que saber o que é chitake, não é?
– É!
– Bem, chitake é chitake, queijo é queijo, torrada é torrada e molho é…
– Você só pode estar tirando sarro da gente, né? – Irritou-se Jair – Isso é uma palhaçada!!! – Ele lançou o guardanapo longe!!!
– Moço, pelo amor de Deus, o que é o chitake, uma planta, uma erva, excremento de unicórnio, testículos de hiena, o que é o SHI-TA-KE???
– Aaaaah!!! Entendi!!! Bem, chitake é chitake, queijo é quei…
– Ah não! Chega!!! Chame o gerente dessa pocilga! Agora! – Jair estava disposto a providenciar a demissão do atrevido, mal educado, assanhado, saliente… O garçom!!!
O gerente se aproxima com toda a calma do mundo, curva-se e pergunta?
– Posso ajuda-los?
– Nós perguntamos àquele garçom o que é chitake, ele ficou de palhaçada, parece que esta tirando sarro de nós e…
– Perdoem-me, mas os senhores não conhecem chitake?!
– Sim, mas o seu garçom é um grosso, estúpido e…
– Um minuto, por favor – O gerente retornou à postura ereta e com o nariz bem empinado bateu palmas duas vezes. Rapidamente dois gigantes, dois Manuel-Pinto-da-Silva’s humanos se aproximaram e enchotaram agente com mesa e tudo. O gerente afoito e descabelado berrou de dentro:
– Só me apareçam aqui quando tiverem categoria e classe para saborear um bom chitake. IGNORANTES!!!! FAVELADOS!!! Vão comer hot dog de picadinho, plebe escrota!!
Ficamos pasmos, arrasados pela alta sociedade carioca. Amanhã em todos os bons jornais do país nossa foto estaria estampada. Na sarjeta, como mendigos!!!
– Mas peraí, não tem paparazzis aqui, ninguém nos viu. Que alívio!!! – Exclamei.

A noite acabou e fizemos um pacto de sangue. Ninguém revelaria este acontecimento ultrajante, humilhante jamais! Cortamos os punhos com palito de dentes e cerramos o juramento, isso enquanto saboreávamos um delicioso e fino hot dog de picadinho com bastante maionese e batata palha. Foda-se o Shitake! Somos cafonas, isto é conosco sim. E que nos deixem em paz!

Marcello Gabbay é mestrando em Comunicação e Cultura  na UFRJ e Músico

Michele Campos é Mestranda em Artes Cênicas na UFRJ e Atirz

2 Respostas

  1. shitake é um peixe ou cogumelo@

  2. Cogumelo Priscila…e bem gostoso 🙂

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: